Inspiração

Imagem

É tão bonito de ver essa galera passando na UnB no gás para iniciar a vida universitária… É inspirador!
Dá uma vontade imensa de no próximo semestre se dedicar mais à Universidade.

8508054066_ca94702a02

Desejo fortemente que esse espírito da galera que está chegando, possa me (nos) motivar e conscientizar da
responsabilidade enquanto estudante de uma universidade pública em um país como o Brasil.

8508056666_4095c1da8e

Fonte: UnB Agência/Flickr

Anúncios

Notas acerca da obra ‘Vida Secas’

Fiquei embevecida lendo os primeiros capítulos da obra Vidas Secas de Graciliano Ramos. Quanta riqueza nas descrições de cada ato dos personagens!

Segue alguns trechos que descrevem os sentimentos da cachorrinha Baleia e as reflexões do menino mais velho sobre como deveria ser o inferno:

“Sentindo a deslocação do ar e a crepitação dos gravetos, Baleia despertou, retirou-se prudentemente, receosa de sapecar o pelo, e ficou observando maravilhada as estrelinhas vermelhas que se apagavam antes de tocar o chão. Aprovou com um movimento de cauda aquele fenômeno e desejou expressar a sua admiração à dona. Chegou-se a ela em saltos curtos, ofegando, ergueu-se  nas pernas traseiras, imitando gente. Mas sinhá Vitória não queria saber de elogios.

– Arreda!

Deu um pontapé na cachorra, que se afastou humilhada e com sentimentos revolucionários.

Capítulo Sinha Vitória, pág. 39.

“O inferno devia estar cheio de jararacas e suçuaranas, e as pessoas que moravam lá recebiam cocorotes, puxões de orelhas e pancadas com bainha de faca”.

“Abraçou a cachorrinha com uma violência que a descontentou. Não gostava de ser apertada, preferia saltar e espojar-se”.

“O menino continuava a abraçá-la. E Baleia encolhia-se para não magoá-lo, sofria a carícia excessiva. O cheiro dele era bom, mas estava misturado com emanações que vinham da cozinha. Havia ali um osso. Um osso graúdo, cheio de tutano e com alguma carne”.

Capítulo o menino mais velho, pág 61.

Referência da obra:

Ramos, Graciliano. Vidas Secas. 88º ed. Rio, São Paulo: Record. 2003, 160p.

Há tempos que venho me propondo a conhecer profundamente a literatura brasileira, tarefa difícil frente à complexidade de tais obras e a sua vastidão. Entretanto, persisto em meu objetivo. E o resultado dessa tentativa de adentrar neste mundo fantástico da literatura é um profundo encantamento na leitura de cada frase, cada parágrafo.

The Constant Gardener (2005)

Gente, que maravilha esse filme!
Recomendo fortemente para assistir no final de semana. É bom assistir com tempo, para haver uma imersão no filme.
Este filme é dirigido por Fernando Meirelles que também foi diretor dos filmes Cidade de Deus e Ensaio sobre a Cegueira.
Fernando sempre capricha na trilha sonora; ele convidou o Uakti para fazer a trilha de Ensaio e para esse
filme usou uma música chamada Kothbiro de Ayub Ogada, músico queniano que vale a pena conhecer!
Aqui está o link para o trailler. Quanto ao filme dá  para baixar tranquilamente pelo isohunt via torrent.

http://www.youtube.com/watch?v=r4iTjavIkbk

Procure no seu interior

O “x” da questão

“Procure no seu interior. Você saberá que é verdade”. Ontem assistindo o V episódio da hexalogia de Star Wars, me deparei com esta frase do Darth Vader para Luck Skywalker, ao revelar-lhe que ele era o seu pai.
Parei naquele instante e refleti acerca deste ensinamento, que embora superficialmente pareça ser tão clichê. Com um olhar mais atento, desvela-se tão verdadeiro, misterioso e complexo.
Ainda nesta linha de reflexões, por assim dizer, li um texto, que regularmente recebo por e-mail de uma loja de produtos artesanais. Que dizia o seguinte: O Universo está constantemente enviando mensagens para você, muitas lições poderás tirar assistindo um filme, lendo, vendo alguém passar na rua. Mas você deve estar atento quando acontecer.
Parece simples, mas não é. Para mim, este é um dos grandes milagres da vida, aquilo que nos abre os olhos e nos faz sentir uma profunda gratidão a todos os seres e ao invisível.

Campanhas:por um Brasil melhor para todos!

Para assinar a petição basta clicar no link ASSINE A PETIÇÃO  e adicionar os seus dados, tudo isso em menos de cinco minutos e você contribui para que seja construída uma manifestação popular e democrática sobre o futuro das florestas brasileiras.

Além disso, fazem quinze anos que o Índio Galdino Jesus dos Santos da etnia Pataxó, foi queimado em um ponto de ônibus da Asa Sul em Brasília, e parece que o brasileiro têm “memória curta” para relembrar desse fato que chocou o Brasil. Os assassinos ficaram impunes; mesmo condenados a 14 anos de prisão, desfrutavam de várias regalias por pertecerem a famílias da classe alta. Mesmo estando na cadeia era permitido a eles sair do presídio, dirigir seus carros e até mesmo frequentar bares. Um ano depois já estavam em liberdade condicional, sendo que esse crime é considerado hediondo pela Constituição Brasileira. Estão fazendo uma campanha na internet para “refrescar” a memórias de todos os brasileiros de  que não temos nada para comemorar no dia 19 de abril.
Espalhem este selo pelas redes!

Link para download do selo

Da destinação

Às vezes fico pensando nas coisas que acontece na vida da gente…

Há dias em que passamos pelos transeuntes e paramos naquele breve instante para pensar para onde correm tanto, quem os estão esperando ou mesmo se são felizes. Indagações como estas, são comuns quando não estamos na efervescência dos pensamentos centrados nas preocupações de nossas próprias vidas.

Dia após dia é natural que não nos atentemos para as coisas mais simples que acontecem nas caminhadas entre a nossa casa, trabalho ou faculdade. Mas, quando nosso olhar por algum motivo desperta para os acontecimentos mais anfêmeros estará presente o ensejo em registrá-los no Guardador de Memórias.

Seja lendo um livro, escutando música, vendo um filme, numa conversa; não importa onde, quando, nem por que. Sempre há momentos em que sentimos num breve espaço/tempo a vontade de compartilhar com outras pessoas a nossa descoberta. E este blog nasceu juntamente com uma descomunal vontade de com-partilhar esses momentos, eis seu único intento.